Felicidade: o que a gestão de pessoas tem a ver com isso?

Com certeza em algum momento da vida você já se questionou se tinha uma vida feliz. E provavelmente para chegar a uma conclusão deve ter levado em consideração alguns aspectos, como: familiar, relacionamentos e trabalho, por exemplo. A definição de felicidade é particular. Mas fazendo uma análise geral, ter um equilíbrio em todos os aspectos da vida contribui para um maior grau de felicidade.

E o que o trabalho e as empresas têm a ver com isso? Tudo!

O trabalho faz parte da nossa identidade profissional, então torna-se importante exercer uma atividade que seja significativa ou que possamos visualizar um propósito nas atividades realizadas. Além disso, o fato de passarmos a maior parte do tempo de nossos dias nos dedicando ao trabalho também é um fator relevante.

Aplicada ao âmbito organizacional, a felicidade tem relação direta com a produtividade e esse assunto tem sido cada mais vez mais estudado. Já é comprovado, através de pesquisas, que os colaboradores mais felizes são mais produtivos e criativos. Além disso, tendem a trabalhar com maior engajamento e a sofrerem menos com estresse.

Pessoas mais felizes tendem a trabalhar com mais empenho e dedicação, comunicam e interagem de maneira mais positiva, e assim contribuem para um ambiente mais saudável e produtivo. Também é possível verificar que organizações mais felizes, em geral, são mais capazes de provocar e gerir melhor as mudanças, tendo como foco as alternativas e soluções, contribuindo para a sustentabilidade da organização.

As pessoas são parte importante da estrutura das organizações e por isso, uma das atitudes iniciais para contribuir para um ambiente mais feliz está no reconhecimento de seus colaboradores como peça fundamental. Em seguida, promover o desenvolvimento pessoal e potencial de cada um geram resultados positivos no desempenho diário de suas funções. Pessoas mais felizes são mais motivadas e tornam-se mais proativas na criação de riquezas para a empresa e na busca por inovação, o que colabora para a sustentabilidade da empresa.

Para estabelecer uma cultura de felicidade nas empresas é importante levar em consideração os valores organizacionais envolvidos. Também é válido observar que quanto mais os colaboradores compartilharem desses valores, maior a chance desse vínculo fluir. Além disso, ter uma prática de vivência dos valores institucionais contribui para o envolvimento das pessoas e para o fortalecimento da cultura.