Identidade: a sua, a minha e a do blog

22/02/2019

 

Chega a ser um deboche minha capacidade de sempre perder minha identidade ao sair de casa. Não, não é nenhuma crise existencial: é pressa mesmo. Pressa para sair à rua, para viver o dia e ver o céu, respirar a rotina e me encontrar nas coisas que faço; só que essa pressa me custa em boa parte das vezes desencontrar meu crachá de cidadão, o RG. É irônico porque o mesmo acontece na vida: procuro, caço desesperado porque o tempo passa e onde menos espero me acho.

É uma confusão muito minha e um ato banal comparado com a complexidade com que a vida acontece, eu concordo. Mas, acredito ser assim com todos nós. A busca de si é uma premissa humana básica, talvez a mais básica de todas que, ignorada ou valorizada, molda totalmente nossa visão de mundo, essência e sobrevivência. Ela veio com Sócrates, através de Platão, no ditado “Conhece-te a ti mesmo”. Há poucos dias atrás Nietzsche complementou o raciocínio com outro aforismo: “Torna-te quem tu és”.

No português sem firulas, o autoconhecimento como exercício de nossa identidade. Buscar ou construir o que faz sentido para nossa vida e nossas necessidades é um atestado de quem somos – muito mais do que um registro cívico, cor da pele ou gosto musical. Cada vez mais conscientes de nós, cuidamos para não atrofiar nossa existência com vícios tipo a fofoca, inveja e negatividade. Hábitos contraproducentes que, se não questionados, acabam sendo passados de geração a geração.

Quebrar com essa tradição é uma transformação muito positiva na medida em que faz desabrochar o senso critico junto à humanidade latente em nós. É o que permite produzirmos com gosto mesmo em meio a desafios tão nossos de conciliar propósito, trabalho, saúde, contas e (imprescindível) a nossa felicidade. Cuidar para que nossa identidade não suma em meio a isso tudo é algo que a Lince já faz no offline; o propósito deste espaço é justamente atestar a nossa identidade e contribuir ainda com mais com você conversando sobre esses e outros temas que atravessam nosso cotidiano.  Eu, Thiago, serei o responsável por te ajudar nisso aqui neste cantinho. E para começar, o primeiro artigo irá abordar justamente uma intimidade que diz muito de nós: o começo. Espero te ver mais vezes, viu? Bem-vindo ao nosso blog!

 

 

Thiago Barbosa vive se buscando entre as palavras, desenho, fotografia e na bagunça do seu quarto também. É psicólogo clínico, e agora redator e Consultor Associado da Lince. @psicologothiagob

 

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of